O que está acontecendo? A vida humana está em risco. Não é a terceira guerra, não é o aquecimento global, não é a decadência econômica, mas um inimigo de origem ainda misteriosa e ele não gosta de fotos, vídeos, nem mesmo de ser visto. É um inimigo invisível, parece coisa de cinema, mas é real.
Tem sido o protagonista dos últimos dias, em pouco tempo demonstrou o poder que tem. Sem fazer barulho, sem brigar com ninguém, vem colocando todo mundo dentro de casa, acalmou o trânsito guardando muitos automóveis nas garagens, fechou escolas públicas e particulares, fechou lojas, fechou bancos, fechou igrejas sem discutir religião, o país do futebol? Pois é, cancelou o futebol, o país do samba? Nem samba, nem sertanejo, nem axé, nem funk etc. desceu todo mundo do palco e pediu silêncio.
Ainda bateu de frente com potências mundiais como os EUA e a China. Vem ameaçando todo mundo, não importa se é pobre ou rico, branco ou preto, heterossexual ou homossexual, se é de esquerda ou de direita, se é do centro ou da periferia, isso mesmo, ele invade condomínio fechado, sobe o morro e entra nas comunidades.
Os últimos inimigos invisíveis vinham de ratos, mosquitos, macacos, aves, este não, este deixou os animais em paz, seu alvo é o ser humano, humano infectando humano. Como o podemos vencer? Ainda não temos resposta, por isso estamos sendo obrigados a recuar, mesmo vendo ele vitimar tantos irmãos pelo mundo, isso nos faz chorar ou pelo menos deveria.
Mas uma coisa temos que admitir: a vida estava muito corrida. O Livro de Eclesiastes diz que há tempo pra tudo, agora é tempo de parar e podemos até nos perguntar: pra onde estávamos correndo? É verdade que conseguimos muitas coisas, mas hoje percebemos que essas coisas não nos dão a garantia da vida e o que tem ficado claro é que o que Cristo ensinou na parábola do bom samaritano é absolutamente verdade: quando a vida está ameaçada, só é possível se salvar se um cuidar do outro, não ter uma preocupação egoísta, mas entender que somos uma única família, a família humana.
Pois é, estamos em tempos de corona e pra jogar por terra a arrogância humana o inimigo ainda tem nome de rei, pois corona é sinônimo de coroa e ele tem reinado entre nós, mas se temos a ciência e a fé trabalhando em favor da vida, ele não reinará por muito tempo.

Flaviano Maurício de Matos – seminarista do 4° ano de Teologia da Diocese de Araçuaí