O Sagrado Coração de Jesus e a santificação do Clero

A devoção ao Sagrado Coração de Jesus é muito antiga na vida da Igreja, porém teve maior expressão após Santa Margarida Maria Alacoque (+1690), uma freira francesa, receber revelações místicas quando se encontrava recolhida diante do Santíssimo Sacramento. Jesus a faz compreender o grande amor que tem pela humanidade e o desprezo com que a humanidade lhe corresponde. A partir dos relatos que a santa deixou registrado em seu diário espiritual foram organizadas as doze promessas como conhecemos atualmente.

Durante um momento de grande intimidade com o Senhor, na oração, Jesus lhe revela que queria que fosse organizada, na primeira sexta-feira, após a oitava da festa de Corpus Christi uma festa solene, para honrar o Seu Coração, e que se comungasse nesse dia para pedir perdão e reparar os ultrajes por Ele recebidos durante o tempo que permaneceu exposto nos altares.

A devoção ao Sagrado Coração foi crescendo, sendo acolhida no coração de diversos papas, até que o papa Pio IX em 1856, a estendeu à toda a Igreja. O papa Leão XIII consagrou a humanidade ao Sagrado Coração de Jesus. Esta devoção bem mais que um ato piedoso, é um convite a reconhecer o amor de Deus por nós, como nos diz São João: “Deus amou tanto o mundo que entregou o seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3,16).

O coração de Jesus é uma escola de santidade, fundada no amor que se manifesta na humildade, no serviço e na confiança em Deus. É um ensinamento simples e profundo para conformarmos todos os dias nosso coração ao Dele, tendo em nós o mesmo pensar e sentir próprio de seu coração (Fl 2, 5).

No ano de 1995, São João Paulo II, convidou a humanidade inteira para no dia do Sagrado Coração de Jesus, dedicar-se a oração pela santificação do clero. É um dia propício para o confiar ao Coração de Jesus cada ministro ordenado da Igreja, para que sejam santos e capazes de conduzir o povo de Deus a santidade. “A vontade Deus é que sejais santo” (1Ts 4,3a). Santidade essa que só se alcança colocando o coração próximo do Coração do verdadeiro Pastor, do Coração manso e humilde de Jesus.

O coração dos ministros ordenados deve pulsar na sintonia do Coração de Jesus. Portanto, que todo o povo de Deus, de modo especial, neste dia, reze pelos seus sacerdotes, confie-os ao Sagrado Coração, para que sejam no mundo reflexo deste Coração de amor. Esta é a sublime missão dos membros do Apostolado da Oração, rezar pela santificação dos sacerdotes. “Jesus manso e humilde de coração, fazei o coração de nossos sacerdotes semelhante ao Vosso”.

Pe.  Matias José Pereira