Instituto das Filhas do Divino Zelo


Santo Aníbal percebendo a miséria de seu povo e a necessidade de homens e mulheres que se dedicassem no serviço e resgate de muitas vidas abandonadas, fundou em 1887 a Congregação das Irmãs Filhas do Divino Zelo, centralizada no Evangelho: “A Messe é grande, mas os operários são poucos…” (Lc 10.2; Mt 9. 36)As Filhas do Divino Zelo são mulheres consagradas ao Senhor com a finalidade específica de pôr em evidência a preocupação de Jesus, que disse: “A messe é grande, mas os operários são poucos” e de obedecer a sua ordem: “ROGAI, pois, ao Senhor da Messe que mande operários a sua Messe” (Lc 10, 2; Mt 9, 36). Além de rezar e propagar a oração pelas vocações, as Religiosas assume com zelo à mesma compaixão que Cristo teve diante da multidão faminta e abandonada e dedicam-se no serviço a Igreja através do apostolado vocacional, nas diversas atividades pastorais como: educação, catequese, medicina alternativa, assistência a menores carentes e idosos. A Congregação está presente atualmente nos cinco continentes, em 15 países: Itália, Brasil, Austrália, Espanha, Estados Unidos, Filipinas, Coréia do Sul, Índia, Indonésia, Rwanda, Camarões, Vietnam, Albânia, Bolívia e México.

ROGATE! Eis o Carisma da Congregação. A seiva que circula em toda a vida espiritual e apostólica das Irmãs Filhas do Divino Zelo. Por isso temos sempre nos lábios a oração: “ENVIAI, SENHOR, APÓSTOLOS SANTOS A VOSSA IGREJA”.

Quem foi Padre Aníbal Maria Di Francia?

 


Um Homem de Deus, um Santo com o coração grande e transbordante de zelo e compaixão pelos pobres e esquecidos de seu tempo.

Nasceu em Messina, Itália, aos 05 de julho de 1851. Quando ainda jovem, sentiu o desejo de consagrar sua vida a Deus, através de uma vocação específica, se tornar sacerdote. Diante da grande carência e miséria dos pobres de Avignone, (um pequeno Bairro de Messina, esquecido por todos), vê a urgente necessidade de apóstolos que se colocassem a serviço do Evangelho para salvar o povo perdido e abandonado. Rezava incessantemente a Deus, pedindo ajuda para a solução do problema. Foi iluminado pelo Espírito Santo ao encontrar no Evangelho a essência da sua preocupação: “A Messe é verdadeiramente grande, mas os operários são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da Messe, que envie operários à sua Messe” (Lc 10,2 e Mt 9,38). Eis o remédio, a resposta de Deus é clara e ele faz dela uma ordem do Senhor que o convoca para tornar universal esta compaixão de Cristo diante das multidões famintas e abandonadas. Pelo Rogate – Oração que se eleva a Deus, pedindo os Bons Operários, Santo Aníbal dedicou toda a sua vida. Faz da oração pelas vocações sua missão junto aos prediletos do Senhor.

No ano de 1887 fundou a Congregação das Irmãs Filhas do Divino Zelo e dez anos depois em 1897 a Congregação dos Padres e Irmãos Rogacionistas do Coração de Jesus.

No dia 16 de maio de 2004, foi finalmente reconhecido pela Igreja e declarado Santo pelo Papa João Paulo II. Com Santo Aníbal aprendemos a virtude da oração, do amor, da dedicação, da caridade e da beleza de uma brilhante Educação pautada nos valores do Evangelho!

 

Conhecendo Madre Maria Nazarena Majone


Do grupo de colaboradores e colaboradoras que aos poucos se uniram a Santo Aníbal Maria, destaca-se, sobretudo para as Filhas do Divino Zelo, a pessoa de Madre Maria Nazarena Majone. Nasceu em Graniti, Itália, aos 21 de junho de 1869. Foi a principal figura, a mais estreita colaboradora, que chegando nos primórdios da obra, em meio a grande pobreza, levou avante diversas obras e comunidades iniciantes com excepcional coragem e profunda sintonia e comunhão com Santo Aníbal. Colocou em ação, traduzindo no seu jeito feminino e materno, os ideais de Santo Aníbal Maria Di Francia. Tão grande foi sua doação que mereceu o título de Co-fundadora da congregação das Irmãs Filhas do Divino Zelo. Morreu em 25 de Janeiro de 1939.