Coordenador Diocesano de Liturgia divulga orientações para Quarta-Feira de Cinzas

Compartilhe:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

 

Nesta Quarta-feira de Cinzas iniciamos um tempo propício à conversão, marcado pela purificação e penitência. A imposição das cinzas, manifesta exteriormente esse sinal penitencial que, pela tradição bíblica se mantem até os nossos dias nos costumes da Igreja. Assim, assumimos a nossa condição de homem pecador, que confessando suas culpas diante do Senhor, manifesta seu sincero desejo de conversão, confiando que em sua benignidade Deus nos escuta compassivo e cheio de misericórdia.

Nossa Igreja diocesana reconhece o fervor visível da fé em todo o povo de Deus. Sabemos que nos anos anteriores, inúmeros fieis com expressiva participação se apertavam nas igrejas para receberem as cinzas. Achamos por bem sugerir que multipliquem o número de celebrações, tendo em vista a imposição das cinzas à um maior número de fiéis. Na quinta-feira e sexta-feira depois das cinzas, havendo legítima necessidade pastoral, se pode dar a benção e fazer a imposição sobre os fiéis, usando a liturgia do dia.

A Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos publicou uma nota com orientações: Após a homilia, tendo abençoado e aspergido as cinzas, aquele que preside, voltado para a assembleia profere uma única vez a fórmula que se encontra no Missal Romano “Convertei-vos e crede no Evangelho” ou “Lembra-te que és pó, e ao pó hás de voltar”. Aqueles que auxiliam na imposição das cinzas, juntamente com o presidente da celebração, higienizam as mãos e usando devidamente a máscara, fazem a imposição das cinzas aos que se aproximam ou, se oportuno, indo até o fiel. Pegando uma porção de cinzas as deixa cair sobre a cabeça do fiel sem nada dizer ou tocar aos que dele se aproximam.

Recordamos, é de suma importância o cuidado de todos, respeitar as orientações sanitárias é um grande sinal de amor a Deus e ao próximo, nosso Deus é o Deus da vida! Aproximemos de coração contrito e humilde da fonte de salvação, certos que Deus, o Pai misericordioso, abraça todos os seus filhos.

Pe. José Geraldo da Silva
Coordenador Diocesano da Pastoral Litúrgica

Receba nossa NewsLetter

Entre em contato

Deixe uma dúvida ou sugestão