Análise do curso de férias 2020 sob o olhar do Seminarista Ricardo

V Curso de Férias para Educadores Populares                                                                                                                                                                                                                                 
Nos dias 23 a 26 de janeiro, na Paróquia Nossa Senhora da Penha de Ipaba, nas dependências da Escola Municipal Padre João Geraldo Rodrigues, realizou-se o V Encontro de Férias Para Educadores Populares. O lema da Campanha da Fraternidade deste ano “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10, 33-44) inspirou as reflexões. O exemplo de Santa Dulce dos pobres foi enfatizado. Ela pedia esmolas nas ruas de Salvador para socorrer os pobres esquecidos. Do galinheiro do convento de sua congregação, erigiu o maior hospital da Bahia! Assim sendo, as dimensões do lema da Campanha da Fraternidade foram vivenciadas pelos participantes.
As dimensões do “ver’ e do “aproximar-se” foram vivenciadas em um verdadeiro clima de comunidade. As famílias de Ipaba acolheram com muito carinho os participantes, que encheram de beleza as ruas da cidade, enquanto se deslocavam ao local do evento. No período da manhã, os palestrantes chamaram a atenção para os grandes desafios enfrentados por nossa sociedade, como a degradação do meio ambiente e a má distribuição de renda. No período da noite, as apresentações culturais encantaram, revelando talentos, ritmos e cores.
As dimensões do “sentir” e do “compadecer-se” foram vivenciadas em comunhão com os que mais sofrem, por meio da oração e da ação. No dia 25 de janeiro, completou-se um ano do desmoronamento da barragem de rejeitos que destruiu Brumadinho, poluiu a bacia do Rio Doce e ceifou muitas vidas. Às 12 horas e 28 minutos, momento exato da catástrofe, realizou-se um ato de solidariedade que comoveu a todos. Além disso, todos se surpreenderam com as assustadoras precipitações de chuvas que deixaram muitas cidades de Minas Gerais e do Espirito Santo debaixo d´água. O fenômeno natural foi agravado pela irresponsabilidade humana. Grande quantidade de lixo desceu com as águas, entupindo bueiros. Condolências foram enviadas às famílias desabrigadas e enlutadas.
A dimensão do “cuidar” levou em consideração a ecologia integral, explicitada na Carta Encíclica Laudato si` e no Sínodo para a Região Pan-Amazônica, em que tudo se encontra interligado: as pessoas, a sociedade e o planeta. As instalações do curso conservaram-se limpas. Não houve a utilização de descartáveis, muitos trouxeram pratos e talheres de casa. A deliciosa alimentação, oriunda da agricultura familiar, foi isenta de agrotóxicos nocivos à saúde e ao meio ambiente. As diversas oficinas oferecidas, no período da tarde, promoveram momentos de aprendizado e bem-estar.
No dia 26, último dia do Curso, a quadra da Escola foi tomada por um clima de Igreja Matriz: Dom Emanuel Messias de Oliveira, Bispo diocesano de Caratinga, presidiu a Celebração Eucarística, concelebrada por vários padres. Alimentados pela Eucaristia, os participantes foram enviados aos seus lares, incumbidos da missão de colocar em prática o que foi aprendido. O padre João Batista fez o anuncio da sede do VI Curso de Férias para Educadores Populares, que terá lugar na Paróquia São João Batista de São João do Manhuaçu,  entre os dias 13 a 17 de janeiro de 2021.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  Texto- Ricardo de Campos Pereira