Vaticano julga válida a investigação diocesana sobre a vida e as virtudes do Servo de Deus Pe. Júlio Maria De Lombaerde

Autor Claudio Geraldo | Data 11 de agosto de 2019



Durante 32 anos no Brasil (1912-1944), o Pe. Júlio Maria De Lombaerde residiu 16 anos nas regiões Norte e Nordeste, passando os outros 16 em Minas Gerais. Nestes locais, desenvolveu atividades de animação da Igreja Católica. Foi conferencista aclamado pela crítica eclesiástica e civil. Fundou três congregações religiosas: Filhas do Coração Imaculado de Maria [1916], Missionários de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento e Irmãs Sacramentinas de Nossa Senhora [1929]. Por meio das congregações, o bem iniciado pelo Servo de Deus se espalhou pelo Brasil afora. Além disso, foi escritor profícuo. Publicou livros sobre os mais diversos temas. É fundador da Gráfica e Editora O Lutador, com sede em Belo Horizonte-MG. Seu periódico “O Lutador” circula, ininterruptamente, há 90 anos.

 

Agora, o sacerdote está em processo de Beatificação e, consequentemente, Canonização, por parte da Igreja Católica. As ações desenvolvidas pelo religioso, juntamente à sua vida cristã, bem como o apoio aos mais pobres, já elevaram Pe. Júlio Maria De Lombaerde a “Servo de Deus”. Depois de dois anos da abertura da pesquisa sobre a vida, a obra e as virtudes do Servo de Deus Pe. Júlio Maria De Lombaerde, a Congregação das Causas dos Santos julgou válida a investigação diocesana.

 

Fase Diocesana

O processo de beatificação do sacerdote começou em janeiro de 2015 e buscou investigar a Fama de Santidade e as Virtudes do Pe. Júlio Maria De Lombaerde, que passou a ser chamado de Servo de Deus, após o “Nihil Obstat” – quando o Vaticano aceitou o pedido enviado por Dom Emanuel Messias de Oliveira, Diocese de Caratinga, para abrir o processo de Beatificação e Canonização.

 

De acordo com Pe. Heleno Raimundo da Silva, SDN, Administrador da Causa de Beatificação e Canonização do Servo de Deus, a cerimônia de encerramento da Fase Diocesana do Processo, conclui a Fase Local e se inicia a Fase Romana. “Durante este período, o trabalho de recolhimento de toda a documentação do Servo de Deus ficou a cargo de uma Comissão Histórica, que a contextualiza no período em que o sacerdote viveu.

 

O primeiro documento exigido é a Certidão de Casamento religioso dos pais do Pe. Júlio Maria e nós conseguimos. O casamento aconteceu em 11 de fevereiro de 1874, na Bélgica. A Certidão original está na língua neerlandesa ou flamenga – variação do neerlandês falada na Bélgica. Foi transcrito e depois traduzido para a língua portuguesa. Posteriormente, tivemos que recolher outros documentos na Bélgica, África e no Brasil, ou seja, em todos os lugares onde esteve o Servo de Deus. Toda correspondência pessoal e/ou institucional, do Pe. Júlio Maria, recebida e enviada; artigos para jornais, revistas, livros que ele escreveu, em nossos arquivos 65, totalizando 15.000 páginas. Ademais, entrevista com testemunhas oculares das ações do Pe. Júlio Maria De Lombaerde. Para isso, o bispo diocesano, Dom Emanuel Messias de Oliveira, constituiu o Tribunal Eclesiástico composto pelo Promotor, Juiz e dois Notários – responsáveis por escutar as pessoas que conviveram com o Servo de Deus”.

 

Passados dois anos, após o recolhimento do material, houve o encerramento da Fase Diocesana, no dia 13 de maio de 2017, no Santuário do Senhor Bom Jesus, em Manhumirim. Ela consistiu na solenidade de lacramento – mediante juramento e assinatura de atas – de três urnas com os autos do Inquérito Eclesiástico, uma com o original (Arquétipo) e as outras duas com cópias (Transunto e Cópia Pública). Após a cerimônia, o Arquétipo ficou guardado na Diocese de Caratinga e as duas cópias seguiram para a Congregação das Causas dos Santos, no Vaticano”.

 

Fase Romana

Neste estágio, todos os documentos são submetidos a um estudo para avaliar se todas as medidas legais foram tomadas corretamente. Depois, é nomeado um Relator, que, junto com o Postulador, elabora a Positio (espécie de dossiê de todas as provas, testemunhais e documentais, recolhidas na Fase Diocesana).

Concluída a Positio, esta estará, após um tempo, sujeito a avaliação de um Congresso de Teólogos, composto por nove componentes, os quais podem dar um parecer afirmativo, suspensivo ou negativo. Após os teólogos, a votação será feita pelos Cardeais e Bispos, e, posteriormente, o Papa, o qual é o único que pode emitir juízo e dar a decisão final. Assim que for reconhecido que o sacerdote cumpriu de forma heroica as virtudes teologais e cardeais, bem como os conselhos evangélicos, ele passa à condição de “Venerável”.

Após a confirmação de sua venerabilidade, a etapa seguinte é a Beatificação. Para se tornar beato é necessário comprovar um milagre ocorrido por sua intercessão. Como Beato, a imagem do Servo de Deus pode, então, ser cultuada no país onde morreu. Somente a comprovação de mais um milagre, eleva o Beato à condição de “Santo” e sua imagem pode ser venerada em todas as igrejas do mundo. Para que os milagres sejam reconhecidos, médicos especialistas precisam atestar que a cura em questão não tem explicação na ciência.

 

“Não podemos definir tempo para que essas etapas se desenvolvam. Devemos saber que são muitas causas no mundo inteiro. Atualmente, no Brasil, gira em torno de 70. À medida que a documentação vai chegando a Roma e existe a constatação de uma validação jurídica, em que o processo se mostra correto, os trâmites prosseguem. Portanto, quanto maior for o acerto na documentação, melhor”, comenta o Pe. Heleno Raimundo, que incentiva aos fiéis rezarem com devoção a oração Pe. Júlio Maria De Lombaerde.

 

ORAÇÃO PELA BEATIFICAÇÃO DO SERVO DE DEUS PE. JÚLIO MARIA DE LOMBAERDE

 

Ó Trindade Santa, vós que sois a fonte de toda santidade, nós vos louvamos por vosso servo o Pe. Júlio Maria De Lombaerde, que, assemelhando-se ao Cristo Eucarístico, cuidou do vosso rebanho com amor, zelo e doação.

E, deixando-se guiar pelo Espírito Santo, assim como a Virgem Maria, testemunhou a ternura missionária da Igreja. Concedei-me, ó Trindade Santa, pela intercessão do Pe. Júlio Maria, a graça que vos suplico [pedir a graça]. E, se for de Vossa santa vontade, dai que Pe. Júlio Maria alcance a honra dos altares, para a Vossa glória e para o bem de tantas almas. Por Cristo, Nosso Senhor. Amém.

[Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.]

 

Com aprovação Eclesiástica

+ Dom Emanuel Messias de Oliveira

Diocese de Caratinga-MG

 

Mitra Diocesana de CaratingaPraça Cesário Alvim, 156Caratinga - MG35.300-000 - (33) 3321-4600