Um santo no nosso meio

Autor Claudio Geraldo | Data 6 de dezembro de 2018



Do ponto de vista religioso estamos vivendo um tempo muito bonito. Estão sendo canonizados pessoas que conhecemos pessoalmente, com as quais convivemos, ou, pelo menos, que viveram nesses últimos anos. Recentemente, foram canonizados São Paulo VI, Dom Oscar Romero e outros.

 

São Paulo VI é do tempo em que eu estudava em Roma. Já ajudei como, seminarista, algumas missas dele, na Basílica de São Pedro; em uma delas segurei o microfone dele. São João XXIII, não o conheci, pessoalmente, mas foi quem convocou o Concílio Vaticano II em 1962. É conhecidíssimo. Ele faleceu em 1963 e São Paulo VI deu continuidade ao Concílio que terminou em 1965.

 

O Papa João Paulo I governou a Igreja apenas 33 dias. Sou um grande admirador desse papa sorriso que encantou a Igreja em tão pouco tempo. Acredito que sua canonização não está longe. Depois veio São João Paulo II com um longo pontificado. Este não apenas o conheci, mas tive a graça de uma conversa com ele, numa visita “ad limina”. Celebrei com ele e almocei ao lado direito dele.

 

Outra santa que o mundo admirava foi Santa Tereza de Calcutá. Quem nunca ouviu falar dela? É do nosso tempo. E a Beata Irma Dulce! Veja que tempo bonito! E o tanto de santos brasileiros que estão sendo canonizados! Além de tudo isso nós temos à frente da nossa Igreja um santo ainda não canonizado que é o Papa Francisco. É só a ala conservadora que está cega e não está vendo no papa Francisco um santo, cheio de unção, de gestos e palavras proféticas, de profundo amor à Igreja, que quer e vive uma Igreja em saída, uma Igreja Samaritana, na simplicidade e na ternura para com todos de modo especial para com os pobres e migrantes.

 

Mais perto de nós temos alguém que convive conosco e todos nós temos a graça da sua amizade. Refiro-me ao monsenhor Raul Motta. É um verdadeiro testemunho de santidade no meio de nós. Não se pode medir a sua bondade, sua responsabilidade eclesial, sua dedicação, sua profunda comunhão com Deus e com todos nós, pobres pecadores. Monsenhor Raul parece que não vive neste mundo. Ele não anda, “levita” de tão calmo que ele é. Sua serenidade, sua paciência, sua vida de oração, seu amor aos pobres, seu sim a tudo o que a gente pede, sua dedicação ao estudo e ao trabalho; tudo isso é  um grande exemplo para nós.

 

Deus seja louvado pela vida do monsenhor Raul! Que Deus o mantenha com muita saúde! Que nós o tenhamos ainda por muitos anos com este exemplo maravilhoso de pureza, ternura, amor ao sacerdócio, amor aos padres, aos seminaristas e a todo o povo de Deus. Dia 07 de dezembro, com a graça de Deus compartilharemos de sua alegria ao completar seus 60 anos de sacerdócio inteiramente dedicado à Igreja. A missa de ação de graças será na Catedral, às 19h. Você não pode faltar. Deus seja louvado mais uma vez por este santo que caminha conosco com seu grande exemplo de fé e de vida.

Dom Emanuel Messias de Oliveira

Bispo diocesano de Caratinga

Mitra Diocesana de CaratingaPraça Cesário Alvim, 156Caratinga - MG35.300-000 - (33) 3321-4600