Paróquia de Conceição de Ipanema realiza assembleia paroquial

Autor Claudio Geraldo | Data 14 de novembro de 2017



No último sábado, 11 de novembro, lideranças de comunidades e pastorais da paróquia de Nossa Senhora da Conceição, de Conceição de Ipanema, participaram da assembleia de pastoral paroquial.

 

O encontro foi orientado pelas propostas do Documento 105 da CNBB, que trata dos “Cristãos leigas e leigos na Igreja e na sociedade”. A partir desta motivação, os mais de 150 participantes fizeram uma avaliação dos trabalhos pastorais propostos na última assembleia. Nesta avaliação, apontaram os avanços, desafios, conquistas e necessidades pastorais para o próximo ano, elegendo novas coordenações e fazendo a agenda pastoral de 2018.

 

Dentre as necessidades levantadas, destaque para a preocupação com o contexto político e com as crises ambientais. Os participantes assumiram gestos concretos, conscientes de que o “testemunho supera os discursos”. Serão desenvolvidos durante o ano de 2018 projetos ambientais como biodigestores, caixas de contenção, fortalecimento da agricultura familiar, reciclagem e extinção do uso de descartáveis além do incentivo e participação no Curso de Férias.

 

O pároco local, padre João Batista de Oliveira, lembrou aos participantes que o cristão deve unicamente preocupar-se com o testemunho e com o zelo pela casa comum, percebendo o grito da natureza. A partir dessa ideia, incentivou-os a participar dos Grupos de Reflexão e dos Conselhos Municipais, como forma de responsabilizar os municípios no cumprimento das obrigações sociais e ambientais.

 

Segue abaixo o relato da assembleia, com a riqueza de detalhes.

 

Assembleia Pastoral Paroquial

 

A Paróquia Nossa Senhora da Conceição em Conceição de Ipanema – MG iluminados pelo IX Plano Diocesano de Pastoral, no desejo de retomar a esperança profética em meio às crises sociopolíticas, encorajados pela proposição do Doc. 105 da CNBB: “CRISTÃOS LEIGAS E LEIGOS NA IGREJA E NA SOCIEDADE”; realizou mais uma grande Assembleia Pastoral Paroquial, no dia 11 de Novembro do ano em curso, no Centro Pastoral Paroquial.

 

A Assembleia obteve êxito desde a participação dos paroquianos, somando-os eram mais de 150 participantes, entre animadores de comunidades, pastorais, movimentos e segmentos públicos do município. Tendo inicio as 8:00 horas com as orações e reflexões à luz da Palavra de Deus, agraciados pelas chuvas que ocorreram durante todo o tempo da assembleia, os participantes através dos membros do Conselho Pastoral Paroquial, abriram os trabalhos propostos para a Assembleia. Na oportunidade realizou-se, pelos Setores Paroquiais, uma Avaliação dos Trabalhos Pastorais propostos na assembleia anterior para o ano de 2017. Apontamos os avanços, desafios, conquistas e necessidades para que continuamente estejamos dispostos em “fazer o que Ele nos disser” (Jo 2,5).

 

Preocupados com o contexto político e com as crises ambientais, os participantes assumiram gestos concretos, conscientes de que o “testemunho supera os discursos”. Serão desenvolvidos durante o ano de 2018 projetos ambientais como: Biodigestores, Caixas de Contenção, Fortalecimento da Agricultura Familiar, reciclagem e extinção do uso de descartáveis alem do incentivo e participação no Curso de Férias. Assumindo nossa responsabilidade na luta pela retomada e garantia dos direitos mínimos a dignidade trabalhista e social, uma vez usurpados sem que houvesse o mínimo de respeito à nossa Democracia, cientes de que o protagonismo leigo torna-se a essência da política como “arte do bem comum”, seremos precursores e de forma que coadunamos nossas lutas a voz da igreja anunciaremos “quem votou não volta”, incentivando e conscientizando aos membros da comunidade que são os corruptos que não merecem nossa confiança.

 

No decorrer dos trabalhos, elegemos as novas coordenações da Pastoral da Juventude e Setores além de reconstituir o Conselho Paroquial de Assuntos Econômicos. Realizamos o Planejamento Pastoral para o ano de 2018. Foi perceptivo o sentimento de esperança, coragem e determinação, tomados pela responsabilidade dos leigos e leigas no caminhar das comunidades e pastorais, incentivados pelo Ano do Laicato.

 

Segundo o Pároco Pe. João Batista de Oliveira, o cristão deve unicamente preocupar-se com o testemunho, com o zelo pela casa comum, percebendo o grito da natureza. Incentivou-nos na participação dos Grupos de Reflexão e nos Conselhos Municipais, como forma de responsabilizar os municípios no cumprimento das obrigações sociais e ambientais.

 

Encerrando os trabalhos nos confraternizamos com um proveitoso café, traçamos alguns compromissos finais para a Festa da Padroeira e voltamos aos lares aptos a mais essa missão.

 

“A primeira motivação para evangelizar é o amor que recebemos de Jesus, aquela experiência de sermos salvos por ele, que nos impele a amá-Lo cada vez mais. Um amor que não sentisse a necessidade de falar da pessoa amada, de apresentá-la, de torná-la conhecida, que amor seria? Se não sentimos o desejo de comunicar Jesus precisamos pedir que volte a cativar-nos.  Precisamos implorar cada dia, pedir  a sua graça para que abra nosso coração frio e sacuda  nossa vida tíbia e superficial.”

(A alegria do Evangelho,  n. 264  – Papa Francisco)

Colaboração – Pablo Martins Izidoro.

Conceição de Ipanema – MG, 13 de Novembro de 2017.

Mitra Diocesana de CaratingaPraça Cesário Alvim, 156Caratinga - MG35.300-000 - (33) 3321-4600