Irmãs Gracianas: Um tesouro em nossa diocese

Autor Claudio Geraldo | Data 4 de novembro de 2018



Uma palavra de Gratidão

Durante os 23 anos em que lecionei Exegese Bíblica, no Seminário Diocesano de Caratinga, de 1977 a 1999, fiquei conhecendo um pouco as Irmãs Gracianas no Seminário, na Cúria e na Residência Episcopal. Na verdade, era um conhecimento muito superficial. Eu me envolvia com meus estudos e minhas aulas e, praticamente, frequentava só o Seminário. Alguns padres de Guanhães me falavam das Irmãs Gracianas, mas nunca tive um interesse mais expressivo para procurar sua Superiora Geral e pensar na possibilidade de levá-las para um trabalho na Diocese de Guanhães, onde servi como bispo durante 13 anos.

 

Depois que me tornei bispo de Caratinga, a partir de 2011, na verdade, é que fui conhecer de perto o trabalho, o empenho e a dedicação das queridas irmãs Gracianas. Hoje, minha ideia mudou radicalmente, meu carinho por elas é muito grande e o conceito que tenho do seu trabalho é sempre crescente. Ninguém ama o que não conhece. Hoje, amo as Irmãs Gracianas, sei valorizá-las, conheço seu potencial evangelizador, dou presença forte nos momentos importantes da vida da Congregação. Elas são um verdadeiro tesouro em nossa Diocese e seu trabalho é muito vasto e feito com uma dedicação de verdadeiras consagradas ao Senhor Jesus e apaixonadas pelo nosso povo. Nesta Palavra do Pastor, gostaria de ter palavras para dizer o quanto sou grato a elas pelo que elas fazem e representam em nossa diocese. Mas palavras expressam pouco. O sentimento que tenho por elas não se expressa em palavras. É um sentimento profundo que brota do íntimo do meu ser, envolvido em grande respeito e um reconhecimento imponderável sobre o que elas são, o que fazem e representam no meio de nós. Elas estão em toda parte e até mesmo fora da Diocese. Minha gratidão por elas é incomensurável. Rezo sempre por elas e reconheço que elas são parte integrante da vida diocesana. Sem elas, hoje, a diocese sofreria um grande impacto na Pastoral. Elas são o lado feminino do meu clero.  Não posso conceber a vida pastoral sem a atuação delas.

 

Queridas Irmãs Graciana, a vocês meu carinho, minha gratidão, meu reconhecimento por tudo o que vocês são e fazem no meio do nosso querido povo da Diocese de Caratinga. Deus derrame sobre vocês uma chuva de bênçãos e desperte vocações no meio de vocês. Vocês são, verdadeiramente, um tesouro em nossa diocese.

 

Dom Emanuel Messias de Oliveira

Bispo diocesano de Caratinga

Mitra Diocesana de CaratingaPraça Cesário Alvim, 156Caratinga - MG35.300-000 - (33) 3321-4600