Portal da Diocese de Caratinga - Fiéis de Manhuaçu e região despedem-se emocionados de padre Júlio Pessoa

Fiéis de Manhuaçu e região despedem-se emocionados de padre Júlio Pessoa

Autor Claudio Geraldo | Data 24 de julho de 2018



A tarde do último domingo, 22/07, foi de emoção, despedida e resgate de lembranças para a comunidade de Manhuaçu e região que se reuniu na paróquia do Bom Pastor, para a celebração de corpo presente e encomendação do padre Júlio Pessoa Franco, falecido no sábado, 21, no Hospital César Leite – onde estava internado para tratamento de saúde.

 

A tarde do último domingo, 22/07, foi de emoção, despedida e resgate de lembranças para a comunidade de Manhuaçu e região que se reuniu na paróquia do Bom Pastor, para a celebração de corpo presente e encomendação do padre Júlio Pessoa Franco, falecido no sábado, 21, no Hospital César Leite – onde estava internado para tratamento de saúde.

 

Presidida pelo Superior da Congregação dos Missionários Sacramentinos de Nossa Senhora, padre Mundinho, e acompanhada por padres do clero sacramentino e diocesano, a celebração eucarística na matriz do Bom Pastor relembrou a história e trajetória do padre Júlio que, desde sua ordenação trabalhou em Manhuaçu.

 

Além do trabalho como pároco e vigário da paróquia de São Lourenço e, ultimamente vigário da paróquia do Bom Pastor, padre Júlio foi o responsável por edificar e reformar dezenas de capelas e por fundar o maior grupo de comunicação da região, reunindo duas emissoras de rádio e um jornal impresso, além de prédios e outros empreendimentos. Um legado que deixou para a cidade e a Igreja.

 

Durante a homilia, padre Mundinho destacou que o momento é de agradecer, apesar da perda. “Foi um sacerdote solícito, zeloso, comprometido com a glória de Deus e a santificação das almas, na expressão do nosso fundador Padre Júlio Maria de Lombaerde. Além do sacerdócio, foi um grande empreendedor nas obras da Igreja, sobretudo na área de comunicação. Desde que chegou a Manhuaçu se ocupou da atividade radiofônica, interessou-se pela imprensa escrita, fundando e coordenando do Jornal Tribuna do Leste. Chegou a Manhuaçu em 1958, a partir daí construiu uma história de realizações que lhe renderam tantos elogios quanto críticas, as quais nunca o intimidaram. Somos gratos a toda a população de Manhuaçu e adjacências pela atenção e amizade ao sacerdote que muito amou esta terra e sua gente”, afirmou.

 

Os padres Márcio Pacheco e João Lúcio Benfica, que foram batizados por padre Júlio, falaram ao final da missa. Acrescentaram, ainda, que o padre Júlio deixou uma marca importante no presbitério através de seu trabalho junto às comunidades da região. Dona Olga, amiga e paroquiana, foi a voz da comunidade e agradeceu a Deus por termos tido tempo de convivência com o padre Júlio Pessoa. “Agora fica a lembrança em nossos corações”.

 

Após a despedida, o corpo foi conduzido em carro do Corpo de Bombeiros pelas ruas de Manhuaçu num cortejo que passou em frente à Igreja Matriz de São Lourenço, casa na qual o Padre Júlio evangelizou durante 59 anos, e depois seguiu para o cemitério municipal.

 

Com muitas palmas, Padre Júlio Pessoa Franco foi sepultado, logo após a bênção da sepultura, celebrada pelo padre Heleno, da Paróquia do Bom Pastor.

 

Com informações do Portal Caparaó

 

Abaixo uma breve biografia de padre Júlio Pessoa

 

Padre Júlio Pessoa Franco, SDN – nasceu na Fazenda Serrinha, em São Gotardo-MG, aos 11 de setembro de 1930. Filho de Rivalino de Mello Franco e Mariínha Pessoa Franco, pais de uma prole de 13 filhos. Foi batizado no dia 14 de janeiro de 1931, pelo padre Sinfrônio Baía da Rocha e crismado em 1935, por Dom Manuel Nunes Coelho.

 

Cursou o Fundamental 1, de 1939 a 1942, no Grupo Escolar Afonso Pena, em São Gotardo-MG. O Fundamental 2, foi concluido em 1948, no Seminário Apostólico Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, em Manhumirim-MG.

 

Entrou para o Seminário São Rafael, em Dores do Indaiá-MG, aos 25 de março de 1943.

 

Em 1951, cursou o primeiro ano de Filosofia, no Seminário Coração Eucarístico, em Belo Horizonte-MG; o segundo ano foi no Seminário São Rafael, em Dores do Indaiá-MG, em 1952; e o terceiro ano, em 1953, no Seminário Apostólico Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, em Manhumirim-MG, onde fez o Curso de Teologia, concluído em 1957.

 

Entrou para o Noviciado no dia 16 de janeiro de 1961, em Manhumirim-MG, e fez a primeira Profissão Religiosa aos 17 de janeiro de 1950. Sua profissão Perpétua, aos 19 de dezembro de 1954, também em Manhumirim-MG.

 

Foi ordenado Diácono no dia 5 de janeiro de 1958, em Manhumirim-MG, por Dom José Eugênio Corrêa, Bispo Diocesano de Caratinga-MG e Presbítero, pelo mesmo Bispo, no dia 6 de janeiro de 1958.

 

Algumas funções exercidas ou cargos ocupados na Congregação e na Diocese:

1950: Regente e Professor no Seminário São Rafael – Dores do Indaiá-MG.

1958: Ecônomo, em Manhumirim-MG.

1958: Vigário-Coadjutor da Paróquia Bom Jesus, Manhumirim-MG.

1958: Diretor do Patronato Agrícola Santa Maria, Manhumirim-MG.

1959: Professor do Educandário Sacramentino, em Espera Feliz-MG.

1959: Cooperador na Paróquia São Sebastião de Espera Feliz-MG.

1959: Vigário Paroquial de Manhuaçu [desde abril de 1959];

1963: Vigário-Ecônomo de São Luís de Manhuaçu-MG.

1972: Funda o Jornal “Tribuna do Leste”, em Manhuaçu-MG.

1982: Instalação da FM e instalação da nova Rádio: AM e FM.

2017: Vigário Paroquial da Paróquia do Bom Pastor de Manhuaçu-MG.

 

Foi membro do Conselho Presbiteral Diocesano e Consultor Diocesano da Diocese de Caratinga.

 

Em 1982, recebeu o título de Cidadão Honorário de Manhuaçu-MG.

É membro da Academia Manhuaçuensse de Letras.

 

Faleceu às 13h, do dia 21 de julho de 2018.

Mitra Diocesana de CaratingaPraça Cesário Alvim, 156Caratinga - MG35.300-000 - (33) 3321-4600