Ano da Fé

Autor Elias Fernandes | Data 7 de dezembro de 2012



Tendo em vista a nova Evangelização para a transmissão da fé cristã, Bento XVI convoca um Sínodo em Roma, de 7 a 28 de outubro. Sínodo significa caminhar juntos em direção à mesma meta. Na esperança de intensificar a ação evangelizadora, o Papa abre o Ano da Fé no dia 11 próximo, estendendo-se até 30 de novembro de 2013. Também a Arquidiocese da Paraíba celebra um Sínodo em memória dos 100 anos de serviço evangelizador, avaliando a qualidade de nossa ação.
O Ano da Fé traduz a preocupação da Igreja Católica que enfrenta o distanciamento de milhares de cristãos batizados. A pergunta fundamental sobre a crise de fé é: por que os cristãos abandonam a Igreja? Isso significa que abandonam a fé? Será que os cristãos buscam a felicidade, como se o amor de Deus e ao próximo não mais importasse? Será que estamos vivenciando uma espécie de ateísmo?

A sociedade de consumo condiciona a vida e as escolhas das pessoas. Os valores que brotam da fé cristã não coincidem com a busca da felicidade apresentada pelos padrões ordenados pela sociedade atual. Excetuando a legítima luta pela sobrevivência pessoal e familiar, a sociedade de consumo induz as pessoas à excessiva preocupação consigo mesmas. Vive-se um clima acentuado de individualismo e autossuficiência. Exemplos: leva-se vantagem sobre os outros; casais se unem por um tempo e decidem não gerar filhos; a preocupação geral é ganhar dinheiro para gozar a vida; o interesse pelas coisas substitui o interesse pelas pessoas. Dá-se mais importância a um cão de estimação do que por melhorias de condições de vida dos empobrecidos e descartados da sociedade. É isso aí…

Os valores da fé são suplantados pela busca do prazer de viver até que Deus se encarregue de sacudir a vida da gente com alguma prova. Deus não desiste de nós. Seu amor para conosco é incomensurável. A fé é dom de Deus. A fé leva os filhos e filhas de Deus a buscarem a felicidade na fraternidade solidária, aberta aos outros. A fé nos abre horizontes de esperança e amor a Deus e aos semelhantes. A fé é dom de Deus que aviva a sua imagem em nós. Duvida-se se alguém encontraria o sentido da existência sem amar seus semelhantes. A fé é acompanhada de amor e de esperança. A fé nos faz sair do egoísmo e nos leva ao encontro dos outros.

Será que a fé cristã tende ao desaparecimento? Dando por descontada a interpretação da fé deste ou daquele credo religioso, evitemos confundir fé e religião. O pressuposto da fé cristã reside no dom que recebemos de Deus. A fé é dom divino, transcendente, sobrenatural. A fé não depende da minha opinião. Não sou eu quem cria a fé. Deus vem ao meu encontro e me concede gratuitamente o dom da fé. Deus ilumina todo ser humano que vem a este mundo. Deus tem cada ser humano como seu filho e filha. Se os valores da fé cristã não incidem na vida e no comportamento das pessoas, talvez seja porque muitos cristãos batizados não são orientados e acompanhados na fé. Os valores decorrentes do Evangelho de Jesus talvez sejam abstratamente conhecidos, mas pouco praticados na vida.

Dom Aldo Pagotto
Arcebispo Metropolitano da Paraíba

Mitra Diocesana de CaratingaPraça Cesário Alvim, 156Caratinga - MG35.300-000 - (33) 3321-4600